3 erros comuns que corredores iniciantes cometem (e como evitá-los)

3 erros comuns que corredores iniciantes cometem (e como evitá-los)

Longplay > Novidades da Longplay > Gente > 3 erros comuns que corredores iniciantes cometem (e como evitá-los)

Evite armadilhas básicas após o treinamento que colocam em risco sua performance na corrida.

© Hinkel Photography

A corrida é uma ótima opção de exercício para dar aquele gás na queima de gordura, uma vez que a demanda de energia é intensa e estimula o trabalho do metabolismo.

Quer aliviar o estresse? A prática também ajuda nessa área, é o tal “barato da corrida”. Endorfina, dopamina e a leptina são os principais hormônios que invadem o corpo a cada passada e são responsáveis pela sensação de bem-estar.

Os benefícios da corrida são tantos que é fácil ver a paixão de quem correr aumentar a cada dia. Mas com tanta empolgação, é comum que atletas iniciantes cometam erros no pós treino que acabam prejudicando seu desempenho físico.

Confira a seguir quais são os principais deslizes e, com a ajuda da equipe Care Club (SP), especializada no desenvolvimento esportivo, como evitar cada um deles.

Planeje uma rota que você aproveitará (foto: © Spaghettitrain)

 

Comer de tudo após o treino!?!

Para garantir que seus músculos se recuperem é preciso consumir alimentos específicos que vão nutrir os tecidos e células corretamente para que o corpo responda ao treino. A proteína ajuda na recuperação das musculares, enquanto os carboidratos repõem os estoques de glicogênio — fonte energética predominante em exercícios de intensidade moderada e alta.

Participantes durante o Wings for Life World Run App Pre Shoot em Munique, Alemanha em 19 de outubro de 2017 // Hans Herbig para Wings for Life World Run

 

A nutricionista Kerolyn Valente indica um shake pós-treino de whey protein e, se não tiver uma fruta a mão, um blend de carboidratos em gel, para repor rapidamente a energia (e segurar a fome).

E nada de deslizes nas refeições que acontecem ao longo do dia, após o treino. Kerolyn lembra que o segredo é a ingestão balanceada entre os macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídios). Dentre os carbos, opte por aqueles de baixo índice glicêmico como cereais integrais, aveia e batata doce, e lipídios poliinsaturados como o abacate, castanhas e azeite, que também são bem vindos, mas em quantidades moderadas.

Não relaxar os músculos

Após o treino, o organismo ainda está em estado de alerta: os músculos estão aquecidos e rígidos, a frequência cardíaca está elevada e a respiração ofegante. “As técnicas de alongamento são importantes para que o corpo entenda que é hora de relaxar e iniciar o processo de recuperação”, explica treinador e educador físico, Leonardo Prieto.

Wings for Life
© RED BULL CONTENT POOL

 

O alongamento pós treino diminui a chamada dor muscular tardia, aquele típico incômodo que surge horas depois de um treino ao qual o corpo não estava habituado. Para evitar e até mesmo diminuir a dor, use a técnica de liberação miofascial. Com ela tanto as fibras musculares como as da fáscia serão realinhadas e os pontos gatilhos de tensão tendem a desaparecer. A fáscia é um tecido que reveste os músculos e os órgãos do corpo. Quando tenso, acumula toxinas e dificulta a circulação sanguínea, responsável por entregar os nutrientes aos músculos.

Existem diferentes versões dos rolos: os de espuma, comuns nas aulas de Pilates, e versões com texturas de diferentes formatos e tamanhos que possibilitam a automassagem.

Não descansar corretamente

Tão importante quanto um bom treino, é o descanso. “Acumular muitos treinos não dá chance para que o corpo se recupere, o que pode causar um efeito contrário e diminuir o desempenho esportivo, além de aumentar os riscos de de lesões”, alerta o médico esportivo, Guilherme Dilda.

Treinos mais pesados, exigem um intervalo de descanso maior. Por isso a importância de um treinador, que irá saber dosar as intensidades dos treinos de acordo com seu descanso.

“Outro fator importante na recuperação e, muitas vezes, negligenciado é o sono, já que é nesse momento que a secreção de hormônios como o cortisol (responsável pelos níveis de estresse e que impacta a saciedade alimentar) é regulada”. A quantidade de horas de sono depende de cada indivíduo, mas a recomendação geral é que sejam de 7 a 9 horas.

City runners hit the asphalt
© MARTINS ZEMLICKIS

 

Anotou as dicas? Então foque nos treinos e se prepare para a Wings for Life World Run 2018!

A Wings For Life World Run é a maior corrida do planeta, em que os atletas têm que fugir do temido carro perseguidor – ou seja – não tem linha de chegada e é preciso ser mais rápido que a máquina para se dar bem. E o melhor é que quem realmente sái ganhando é a causa social, já que 100% da taxa das inscrições serão revertidas para pesquisas sobre a cura da lesão da medula espinhal. A quinta edição acontecerá no dia 6 de maio no Rio de Janeiro (RJ). Gostou do desafio? Veja como participar aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *